TENDENCIAS PARA 2016 NO E- COMMERCE

MERCADO —

A crise econômica de 2015 não chegou ao segmento de e-commerce no Brasil. Ao contrário: a expectativa é de que as lojas virtuais alcancem um crescimento de 20% até o final do ano, de acordo com o relatório “Webshoppers” divulgado semestralmente pela E-bit.

Somente no primeiro semestre de 2015 foi registrado um aumento nominal de 16% no comércio eletrônico brasileiro, quando comparado ao mesmo período de 2014. Em meio a esse panorama promissor, já é possível observar algumas tendências para 2016:

#1- Redução do frete grátis

Pode até parecer uma medida negativa, mas, na verdade, trata-se de uma estratégia para incitar à fidelização. O frete grátis foi uma iniciativa das primeiras lojas virtuais brasileiras para atrair o público que não conhecia as compras pela internet.

A tendência de diminuir o percentual do frete grátis será adotada por várias empresas como método de fidelização e diferenciação de serviços para determinados consumidores – aqueles que finalizam compras de alto valor ou via e-mail marketing, por exemplo.

#2- Crescimento do mobile commerce

O diretor executivo da E-bit, André Ricardo Dias, aponta que “a jornada do consumidor online certamente será impactada de maneira cada vez mais intensa pelos dispositivos móveis, afinal os smartphones estão nas mãos dos consumidores em praticamente 100% do tempo”. Isso significa que os sites responsivos serão essenciais em 2016 para os grandes e pequenos varejistas que desejem atrair mais consumidores e converter vendas.

#3- Blog vinculado ao e-commerce

Boa parte dos sites institucionais do segmento de serviços já desenvolvem um conteúdo personalizado para o seu público, com o objetivo de esclarecer dúvidas, dar dicas de uso, aplicações e apresentar as novidades da empresa.

Em 2016, os blogs serão ferramentas indispensáveis para converter as vendas das lojas virtuais, principalmente aquelas do segmento de vestuário, arquitetura, decoração, beleza e tecnologia. A ideia central é produzir conteúdos atrativos que possam responder de antemão às perguntas dos consumidores sobre determinados produtos e lançamentos.

#4- Data Analytics para criação de ofertas

As ferramentas de Data Analytics também serão amplamente utilizadas em 2016 para identificar padrões de comportamento entre os consumidores. Comsoftwares avançados é possível cruzar informações complexas para prever tendências de compra e identificar os perfis de público mais inclinados a desenvolver uma relação fidelizada com a marca.

Os tópicos acima apresentados são apenas alguns prognósticos do e-commerce para o próximo ano, baseados nas coletas de dados realizadas pela E-bit. É importante ressaltar, contudo, que os donos e gestores de lojas virtuais devem avaliar com antecedência a viabilidade do investimento e as probabilidades de retorno, de acordo com o porte da sua loja virtual e suas metas de crescimento.

Leia mais: http://www.b2log.com/news/tendencias-para-2016-no-e-commerce/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *